Buscar
  • Maria Rejane Arboite

- Um alerta aos recrutadores: Contrate Profissionais Seniores – Parte 2

Atualizado: Jun 30


Seguindo a reflexão "talento não tem idade" é muito comum pensarmos em diversidade no ambiente de trabalho mais no âmbito do gênero ou raça, do que faixa etária. Ao observarmos o desempenho profissional dos jovens trabalhadores, principalmente sob a ótica do comportamento e do saber fazer concluímos que inúmeros estão atrapalhados e ocasionalmente acabam sendo desligados das organizações. Isso ocorre porque cobramos deles certas habilidades e comportamentos maduros que os mesmos ainda não viveram para aprimorar ou ainda não se experimentaram o suficiente em situações ditas como comuns a profissão.

Há um discurso recorrente: "existem poucos profissionais qualificados no mercado de trabalho”.


Realmente os jovens não estão qualificados para diversas vagas de emprego e culturas organizacionais. Isso porque qualificação não é sinônimo de formação educacional. Eles correm em busca de formação educacional, se graduam, pós graduam, aprimoram a língua estrangeira, fazem intercambio, isso tudo até 27 ou 30 anos de idade e muitos não obtém um emprego formal. Quais os motivos? Geralmente em razão de não conseguirem aplicar na pratica os conhecimentos adquiridos ou são relapsos com a qualidade do trabalho entregue e/ou os comportamentos são inadequados a cultura da empresa.

Na verdade, qualificação profissional, trata-se da interação entre o que aprendemos teoricamente e como aplicamos na pratica, daquilo que já vivemos e experimentamos e como nos comportamentos frente a situações complexas de trabalho. Assim sendo, falta lhes a sabedoria.

No campo das competências profissionais fala-se que “ algumas competências só aparecem com a idade”

Profissionais seniores, acima de 40 anos de idade, normalmente possuem curso superior, vários anos de experiências em culturas organizacionais distintas, filhos criados e uma vida financeira organizada, igualmente desempregados. Quais os motivos? alguns recrutadores e empresários lhes consideram velhos demais. Quando perguntados sobre essa questão, usualmente caracterizam um profissional velho como aquele que não tem habilidade com a tecnologia da informação e possui comportamento e opiniões rígidas.



Então como escolher o candidato mais adequado? Na minha percepção, a conversa, a entrevista são as melhores estratégias. Sim, você poderá sentar e conversar com um profissional acima de 40 anos e acha-lo velho demais. Quanto ao jovem, sim, você poderá acha-lo despreparado, inseguro e com comportamentos inapropriados.

Mas isso tudo, você somente conseguirá perceber através do contato pessoal, pois a o currículo é apenas um documento, surdo, mudo, uma lista de coisas sem emoções.

Meu alerta é para darmos a chance de uma entrevista para ambos os profissionais. Somente dessa forma estaremos praticando a Gestão de Talentos e a Diversidade Cultural.

O


42 visualizações

© 2017  www.p3rh.com.br Orgulhosamente criado com Wix.com